Apontamentos do que vai mal por aqui, mas sem esquecer os elogios, se os houver!

27
Jul 08

Quando é que se lembram de utilizar as novas tecnologias, nomeadamente as videoconferências, para procurar trabalho? Isto de pagar viagens para percorrer o país de lés a lés é obra. Claro que quem corre por gosto não cansa, mas fica falido! Ainda por cima estando no desemprego! Imaginem quem vem das ilhas, coitados. Aliás, para os pobres nunca à nada, no entanto, recordo-me de uma notícia da Edite Estrela que deveria comparecer no tribunal no Funchal, por um processo qualquer de difamação do Alberto João Jardim, e recorreu-se à videoconferência, já que a sra. não iria gastar dinheiro na deslocação. E ela que o deve ter!!!!!

 

Portanto, se numa questão tão importante que é a Justiça, em que se tem que dizer toda a verdade, mais nada que a verdade e só a verdade (sim!!???), se utilizam câmaras, então também se poderão utilizá-las em entrevistas, nos casos excepcionais em que há uma distância considerável. Eis a proposta.

publicado por bloguedereclamacoes às 16:14
sinto-me: Com fome
música: Pelos caminhos de Portugal

22
Jul 08

Mas alguém me explica o que são despesas de manutenção de uma conta??? Então eu dou o meu dinheirinho ao meu querido amigo banco, para ele fazer o que bem entender enquanto eu não o uso, e ele ainda me cobra por isso? Devia era estar agradecido por eu ter lá o dinheiro, isso sim! E se eu realmente visse alguma manutenção... Nem cartas, nem extractos, nem um cartão de boas festas, nada! Ai, ai, ai, Caixa Geral, 'tás aqui, 'tás a perder uma "amiga"!

publicado por bloguedereclamacoes às 15:06
sinto-me: Roubada
música: Chamem a polícia - Trabalhadores do Comércio

A TAP afirma pensar no conforto dos animais, permitindo o seu transporte na cabine desde que tenham até 7 kg (incluindo o contentor). Paradoxalmente, exige que a altura máxima da mala de transporte seja de 25 cm... 25 cm?! O meu gato, que até é pequeno (pesa 3,900 kg), tem mais de 25 cm quando sentado. Qual é o conforto do animal que tem que aguentar umas 2 horas de viagem sem poder esticar as patas? Estar sempre deitado sem espaço para se virar não é a minha noção de conforto. E os animais são considerados inferiores a bagagens ou quê? Por que motivo pode alguém em primeira classe transportar 10 kg de bagagem e o animal só pode ser até 7 kg? Para mais, estes 10 kg não pesam no preço do bilhete, enquanto que o animal é considerado excesso de bagagem e, claro está, o pobre paga!

publicado por bloguedereclamacoes às 14:50
sinto-me: Mole
música: Hoje preciso de silêncio

21
Jul 08

Não vou generalizar porque seria injusto. Mas, já tenho feito bastantes viagens e considero que o atendimento na TAP poderia melhorar; tenho sempre a sensação que se acham muito superiores, há usualmente um ar de arrogância. Então hoje o contacto que estabeleci com o Call Center foi um excelente exemplo disso.

 

Primeiro, o tom é fundamental num contacto telefónico, senão começa tudo mal. Segundo, a teimosia, o ser-se complicado e a falta de informação arrasam de vez com qualquer satisfação por parte do cliente. Eu sei que se quero transportar um animal comigo tenho que o levar em determinadas condições, como o já fiz várias vezes, numa mala própria para animais. Contudo, a sra., coitada, teimou em embirrar com a mala e disse que tinha que ser transportada num contentor, entenda-se contentor rijo e que se eu tinha conseguido até ao momento transportar o meu bicho de outra forma era porque os colegas tinham sido benevolentes. Bem, então há muita gente benevolente e só ela é que cumpre todas as regras! Ora, no regulamento de transporte de animais da TAP nada fala em contentores rijos; fala, sim, simplesmente em contentores. Então e a mala não é um contentor? Um contentor não é algo que contém? Tal como nas leis, a definição de contentor peca por omissão.

 

Por outro lado, também há medidas máximas, o que se compreende, de modo a que o "contentor" possa caber no espaço mínimo a que temos direito, e, dadas as experiências anteriores, informei que as medidas da mala do meu animal eram as máximas. Ui, o que fui dizer! A sra. ainda ficou mais afectada (coitada, devia ser da azia!) e literalmente inventou que não havia limites máximos e que eu tinha que medir e blá blá blá. Pronto, tudo bem, se ela queria que eu medisse (mais uma vez) era só dizer com gentileza; não era preciso enervar-se daquela maneira. O problema é que me enervou também e faltas de educação não aturo eu! Além do mais, sendo uma mala, as dimensões não são fixas, uma vez que há possibilidade de rebaixar, apertar (o que nunca foi preciso fazer). Daí, qual a razão para tanta dificuldade? Ó minha sra, faça yoga!

 

P.S. - A questão das dimensões fica para outro post.

 

publicado por bloguedereclamacoes às 16:38
sinto-me: Enervada
música: Deixa-me rir - Jorge Palma

20
Jul 08

Como é que algumas Câmaras podem funcionar bem, se os serviços estão dispersos por todo o lado?  Veja-se o exemplo da Câmara de Lisboa, com Departamentos em Santos, Saldanha, Entrecampos, Marquês de Pombal, Campo Grande, Av. da Liberdade, ufa... Basta arranjar-se um guia turístico e, se formos a cada Departamento, já ficamos a conhecer Lisboa de ponta a ponta. Assim, não há agilização de processos que aguente, não há Simplis simples. Apenas uma grande canseira! Ainda com o risco acrescido de se ver muita papelada perdida nos envios internos. E os custos disto tudo? Sim, temos o direito de o questionar, já que somos nós, como cidadãos, que pagamos. Imagino a quantidade de dinheiro que se gasta só em despesas de deslocação (metro, autocarro) para que as auxiliares de serviços gerais possam saltitar de poiso em poiso, distribuindo documentação que, provavelmente, já só chega ao destino bastante tarde. Sem falar do tempo despendido: estas funcionárias poderiam estar a fazer algo bem melhor do que a percorrer km. Pelo menos, a Câmara tem funcionários saudáveis que nem sequer precisam de pagar ginásio! 

publicado por bloguedereclamacoes às 20:44
sinto-me: Cansada

18
Jul 08

Como tantos outros, estou desempregada (por isso é que tenho tempo para este blogue!). Entre enviar CV, ir a entrevistas, telefonar para saber respostas,  gastar dinheiro em deslocações e estadias (pois ando a procurar por todo o país), chega-se à conclusão que é preciso ser-se rico para procurar emprego.

 

Enquanto faço isto, pensei em fazer voluntariado na minha área de modo a, pelo menos, ganhar experiência. Não seria a tempo inteiro, pois também não concordo com os abusos de muitas empresas que querem jovens a estagiar de borla ou em regime de voluntariado com todos os deveres de funcionários com contrato. Direitos, claro está, não existem! Infelizmente, a necessidade é muita, daí alguns se sujeitarem a estas condições em troca da experiência. Contudo, a verdade é que, se ninguém o fizesse a tempo inteiro, as empresas seriam obrigadas a contratar.

 

Com esta ideia em mente de fazer voluntariado por algumas horas e nalguns dias da semana, senti-me confiante que rapidamente encontraria um local, pois não me parece sensato desperdiçar um recurso humano que se preste a trabalhar de borla. No entanto, estava bem enganada. Deparei-me com burocracias, instituições que não me podiam ter como voluntária pois não tinham pessoal para me delegar tarefas e até mesmo departamentos que teriam que perguntar a outros departamentos, que por sua vez teriam que perguntar a outros departamentos, se eu poderia fazer o voluntariado. Bolas, até para trabalhar de graça é difícil!!! É assim tão complicado deixar que uma pessoa contribua com os seus conhecimentos? É assim tão complicado deixar uma jovem empenhada ganhar alguma experiência? Não há instituições que se queixam da falta de pessoal? Então como deixam escapar pessoas com vontade de trabalhar??? Mas que complicados!!!!

publicado por bloguedereclamacoes às 13:31
sinto-me: Estupefacta
música: No reino da bicharada - Rita Lee

Pois é! Decidi desabafar para este blogue. Há tantas coisas que me deixam de boca aberta nesta sociedade que não consigo ficar impávida e serena sem agir e reclamar. Muitas vezes oiço pessoas dizerem "Ah, reclamar para quê? Não vale a pena, fica tudo no mesmo!". Mas é por isso mesmo que fica tudo no mesmo, por este tipo de pensamentos. Se todos nós chateássemos, tipo melgas, muita coisa poderia ser diferente. Portanto, toca a deitar tudo cá para fora e não deixar que nos façam de parvos. Descreverei situações que me deixam fula (e não são poucas) para que todos se possam aperceber do que está mal e para que haja partilha de casos idênticos. Sejamos cidadãos contributivos e activos.

publicado por bloguedereclamacoes às 12:55
sinto-me: Expectante

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
19

23
24
25
26

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
2008

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO